sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

De saída

Saio pela porta, furtivo...
Não deixo razão, nem aceito os motivos
Te vejo de longe, de costas para o meu presente.
Com os olhos mirando um futuro cheio do que não sou eu. Um futuro vazio de mim
Fotos mortas, palavras soltas, silêncio débil
Sem música preferida ou bilhete pra despedida
Sem flores ou beijo ardente
Somente a saída...

Nenhum comentário:

Postar um comentário